quarta-feira, outubro 30, 2013

Esta só funciona mesmo em inglês!


Uma miúda de 9 anos numa performance de ópera que vale a pena ouvir...


A miúda é holandesa chama-se Amira Willighagen, tem 9 anos.Nunca teve lições de canto e nunca teve um professor... 

Pediu-me boleia mas nunca mais diz aonde quer sair...


Uma avózinha inglesa joga o actual supra sumo dos videojogos - GTA 5 mostrando toda a sua raiva!...


Ela está particularmente chateada devido ao aumento de 20% do preço do gás na Inglaterra

A isto chama-se uma ligação umbilical entre o autor e o tema do livro...


A genética é uma coisa engraçada, não é?


A polícia de Nova York a apanhar bonés na broadway

O estalinismo tem muitas cores...Esta é cor de laranja!

Depois de quase três anos a promover salários mínimos iguais para todos, uma autêntica purga: o PSD prepara-se para expulsar 396 militantes que estiveram envolvidos em candidaturas adversárias às do partido nas recentes eleições autárquicas. Ainda bem que o PSD tem o poder que tem sobre os Pravdas que noticiam estas coisas, ou então teríamos para aí a carneirada toda a repetir máximas sobre o muro de Berlim e quejandos que tais. Luxos do estalinismo pós-socrático. Se calhar, estou a ser injusto. Toda a gente sabe que os comunistas é que comem criancinhas ao pequeno-almoço. Eles só comem o pequeno-almoço às criancinhas.

Mentes brilhantes


Mas quem é que disse que o governo não se preocupa com a natalidade?



terça-feira, outubro 29, 2013

Digam lá o que é que querem...


Como se pode facilmente assustar alguém…

"No Woman, no Drive" - Uma sátira realizada por um saudita ao êxito de Bob Marley


Está a haver um massivo protesto fora e dentro da Arábia Saudita sobre o facto das mulheres serem proibidas de conduzir. Este vídeo faz parte da campanha.

Quadro roubado pelos nazis devolvido aos herdeiros

Se foi preciso este tempo todo para um quadro roubado pelos nazis ser devolvido aos herdeiros do seu proprietário, já imaginaram o tempo que será necessário para repor tudo o que este governo e o anterior roubaram  nos diversos tipos de contratos estabelecidos com os cidadãos?

Um retrato que é uma obra de arte espantosa

Jorge Rodriguez-Gerada é um artista cubano-americano que idealizou e com a sua equipa levou a cabo esta obra prima realizada em 11 hectares na Inglaterra 



 














Fiquei ontem num hotel que costumava ser uma estação de comboios...


A revelação


Enviado pela leitora F.S.

O sentido da política

A pergunta sobre o sentido da política e a desconfiança em relação à política são muito antigas, tão antigas quanto a tradição da filosofia política. Elas remontam a Platão e talvez até mesmo a Parménides e nasceram de experiências muito reais de filósofos com a polis: significa a forma de organização do convívio humano, que determinou, de forma tão exemplar e decisiva, aquilo que entendemos hoje por política que até mesmo a nossa palavra para isso, em todos os idiomas europeus, deriva daí.

Tão antigas quanto a pergunta sobre o sentido da política são as respostas que justificam a política; quase todas as classificações ou definições da coisa política que encontramos na nossa tradição são, quanto ao seu conteúdo original, justificações. Falando de maneira bastante geral, todas essas justificações ou definições têm como objectivo classificar a política como um meio para um fim mais elevado, sendo a determinação dessa finalidade bem diferente ao longo dos séculos. Contudo, essa diferença também pode ser reduzida a algumas poucas respostas básicas, e o facto de assim ser indica a simplicidade elementar das coisas com as quais temos de lidar aqui.

A política, assim aprendemos, é algo como uma necessidade imperiosa para a vida humana e, na verdade, tanto para a vida do indivíduo como da sociedade. Como o homem não é autárquico, porém depende de outros na sua existência, precisa haver um provimento da vida relativo a todos, sem o qual não seria possível justamente o convívio. Tarefa e objectivo da política é a garantia da vida no sentido mais amplo. Ela possibilita ao indivíduo procurar os seus objectivos, em paz e tranquilidade, ou seja, sem ser incomodado pela política — sendo antes de mais nada indiferente em quais esferas da vida se situam esses objectivos garantidos pela política, quer se trate, no sentido da Antiguidade, de possibilitar a poucos a ocupação com a filosofia, quer se trate, no sentido moderno, de assegurar a muitos a vida, o ganha-pão e um mínimo de felicidade. Como além disso, conforme Madison observou um dia, trata-se nesse convívio de homens e não de anjos,5 o provimento da vida só pode realizar-se através de um Estado, que possui o monopólio do poder e impede a guerra de todos contra todos.

Comum a essas respostas é o fato de elas se julgarem naturais, de que a política existe e existiu sempre e em toda parte, onde os homens convivem num sentido histórico-civilizacional. Para esse carácter natural, costuma-se recorrer à definição aristotélica do homem enquanto ser político, e esse recurso não é indiferente porque a polis determinou de maneira decisiva, tanto em termos de idioma como de conteúdo, a concepção europeia do que seria política originalmente e que sentido ela tem. Tampouco é indiferente porque a citação de Aristóteles baseia-se num equívoco também bastante antigo, embora pós-clássico. Aristóteles, para quem a palavra politikon era de fato um adjectivo da organização da polis e não uma designação qualquer para o convívio humano, não achava, de maneira nenhuma, que todos os homens fossem políticos ou que a política, ou seja, a polis, houvesse em toda parte onde viviam homens. Da sua definição estavam excluídos não apenas os escravos, mas também os bárbaros asiáticos, os reinos de governo despótico, de cuja qualidade humana não duvidava, de maneira alguma. Ele julgava ser apenas uma característica do homem o facto de poder viver numa polis e que essa organização da polisrepresentava a forma mais elevada do convívio humano; por conseguinte, é humana num sentido específico, tão distante do divino que pode existir apenas para si em plena liberdade e independência, e do animal cujo estar junto, onde existe, é uma forma da vida na sua necessidade. Portanto, a política na acepção de Aristóteles — e Aristóteles não reproduz aqui, como em muitos outros pontos dos seus escritos políticos, a sua opinião sobre a coisa, mas sim a opinião compartilhada por todos os gregos da época, embora em geral não articulada — não é, de maneira nenhuma, algo natural e não se encontra, de modo algum, em toda parte onde os homens convivem. Ela existiu, segundo a opinião dos gregos, apenas na Grécia e mesmo ali num espaço de tempo relativamente curto.

Hannah Arendt 


segunda-feira, outubro 28, 2013

Quando penso no futuro fico assim...


Reação das pensionistas ao OE


Enviado pela leitora F.S.

É assim que o verdadeiro artista tem que enfrentar a onda gigante da Nazaré!!!


Esta é a entrada principal da propriedade...


A entrada no metro na Venezuela é algo que não devemos querer experimentar!...

Com amigos destes falar de inimigos são palavras vãs...

Obama sabia de escutas a Merkel há três anos

Presidente dos EUA foi informado pessoalmente da espionagem ao telemóvel de Angela Merkel, não mandou suspender o programa e pediu um relatório completo, diz jornal alemão.

O presidente norte-americano terá sido informado em 2010 da espionagem ao telemóvel de Angela Merkel, não mandou suspender o programa e chegou mesmo a pedir um relatório completo sobre a chanceler, noticia hoje o Bild am Sonntag.
O jornal, que cita fontes dos serviços secretos dos Estados Unidos, explica que foi o diretor da Agência Nacional de Segurança (NSA), Keith Alexander, que informou Barack Obama pessoalmente.
As fontes citadas pelo Bild contradizem a mensagem transmitida, quarta-feira, pelo presidente norte-americano à chanceler alemã - depois de terem sido reveladas as escutas ao telemóvel de Angela Merkel- de que não tinha conhecimento da espionagem e que, se tivesse sabido, a teria impedido.
A Alemanha anunciou que enviará nos próximos dias uma delegação "de alto nível" aos Estados Unidos para receber informações da Casa Branca e dos serviços de informação sobre este assunto.
"Espiar é um delito e os responsáveis devem responder por isso", sublinhou, numa entrevista ao mesmo jornal, o ministro alemão do Interior, Hans-Peter Friedrich.
Hans-Peter Friedrich este verão em Washington para encontros com a administração Obama depois de terem sido publicadas informações sobre alegada espionagem a cidadãos alemães, governos e instituições da União Europeia.
"Se os norte-americanos escutaram telefones na Alemanha, infringiram a lei alemã em território alemão, o que supõe violar a nossa soberania. É inaceitável", disse Friedrich.
Segundo o Bild, a NSA não só escutou o telemóvel do partido que Angela Merkel usou até julho, como terá espiado o telefone aparentemente seguro que esta começou a usar no verão.
A informação recolhida na embaixada norte-americana em Belim - onde trabalham 18 agentes da NSA - seria enviada diretamente para a Casa Branca, sem passar, como é habitual, pela central da agência em Fort Meade, Maryland.
O semanário alemão Der Spiegel notícia também hoje que o telemóvel de Angela Merkel aparece na lista de objetivos da NSA desde 2002, três anos antes de ganhar as eleições.
Nesse ano terá começado também a espionagem ao então chanceler, Gerhard Schroeder, segundo informações do Bild.
O programa foi iniciado no mandato do presidente George W. Bush, quando Schroeder recusou enviar tropas alemãs para o Iraque.

Eu só estou aqui a vender gelados!...


Mas espiar...o quê?